Home » Geral » RACISMO: Diretoria do Comercial demite funcionário que ofendeu árbitro de jogo


RACISMO: Diretoria do Comercial demite funcionário que ofendeu árbitro de jogo

O Comercial exonerou nesta terça-feira (24) Raimundo Nonato Costa Silva, segundo secretário da diretoria azul e branco, que foi flagrado ofendendo o árbitro Edimar da Silva Leite na partida entre o Bode e o Cori-Sabbá pela Série B do Campeonato Piauiense no último sábado no Estádio Deusdethe de Melo em Campo Maior. O Presidente do Comercial, Marcelo Paz assinou a portaria que retira dos quadros do clube o funcionário que ainda não se pronunciou oficialmente sobre o episódio.

- Nós não aceitamos, de maneira alguma, essa situação. Nem por torcedores, nem por dirigentes. Infelizmente aconteceu, estamos indignados, não esperávamos que fosse acontecer. Ele vai se retratar posteriormente, mas nós não temos como tolerar – explicou o presidente do Comercial-PI.

Foto: Gustavo Cavalcante

- O Raimundo disse que pediu desculpas na hora junto aos policiais, tinha sido infeliz na fala e percebeu que não foi legal. Ele fez uma besteira, não se justifica. Conversei por telefone, ele está deprimido, não está indo trabalhar, não quer receber ninguém em casa – completou o presidente do clube.

As ofensas foram flagradas no primeiro tempo do confronto entre Comercial-PI e Cori-Sabbá, no estádio Deusdeth de Melo, em Campo Maior. O local, por sinal, estava praticamente vazio por conta da ausência de torcida, já que o estádio não possui condições de segurança aprovadas pelo Corpo de Bombeiros. Após uma dividida entre Manoel Neto, do Bode, e Emerson, da Águia de Floriano, o funcionário do clube mandante é ouvido e gravado pelo cinegrafista Gustavo Cavalcante, da TV Clube, chamando o juiz de “picolé de asfalto”.

Árbitro Edimar da Silva Leite — Foto: Stephanie Pacheco

Ao saber do caso através de amigos, Edimar confessou que ficou surpreso, pediu punição e revelou o sentimento de tristeza.

- É uma coisa triste, queria que não acontecesse, mas, infelizmente, a gente tem que ouvir esse tipo de coisa. Não levo mágoa, mas vou procurar os meios para resolver dentro da lei. Peço que ele reflita. Identificado ele vai ser. Com certeza, vamos nos encontrar. É uma coisa a se pensar até pelo bem dele. Com certeza deve ser um pai, deve ter filhos… E para a educação dele vai ser muito bom. – comentou o árbitro.

Com informações do Globoesporte.com

Deixe seu comentário