Home » Política » Alguns candidatos de Campo Maior tiveram grande derrota nas urnas, outros não. ENTENDA


Alguns candidatos de Campo Maior tiveram grande derrota nas urnas, outros não. ENTENDA

Os candidatos representantes de Campo Maior nessas eleições não tiveram um bom desempenho nas urnas e acabaram saindo derrotados nesse dia 07/10. O que prova que a população piauiense e principalmente campomaiorense está insatisfeita com a representatividade desses nomes, principalmente daqueles que já tiveram oportunidades na Assembléia Legislativa.

Só que alguns desses candidatos campomaiorenses entraram nessa disputa não para se eleger, mas sim com outros objetivos futuros. ENTENDA:

DEPUTADO ESTADUAIS

Paulo Martins, Antônio Félix, Devan Eugênio, Raimundo Pereira e Edilene Pinho, respectivamente.

O candidato campomaiorense que se saiu melhor nas urnas foi Paulo Martins (PT), que obteve 19.158 votos em todo o estado. Já em Campo Maior ele conseguiu se sair melhor entre os outros representantes e alcançou o primeiro lugar na cidade com 6.381 votos. Com esse desempenho nas urnas o petista não conseguiu se eleger a Deputado Estadual, ficando na suplência de sua coligação e na posição 39º entre todos os candidatos ao cargo. Martins ainda tem chances de assumir o cargo pelo fato do governador Wellington Dias, apoiado por ele, ter sido eleito.

O candidato Antônio Félix (PTC) teve o seu pior desempenho desde que saiu candidato a Deputado Estadual pela primeira vez em 2006. No geral ele obteve 16.946 votos e ocupa a 42º colocação entre os candidatos. Na cidade de Campo Maior ele foi o segundo mais bem votado com 3.995  votos, mas acabou ficando consideravelmente atrás do primeiro (Paulo Martins) e por pouco não foi alcançado pelo terceiro colocado (Devan Eugênio). Além do péssimo desempenho, Félix ainda viu seu candidato a governador Dr. Pessoa ser derrotado no 1º turno, o que dificulta o mesmo de assumir no futuro uma vaga na Assembléia como suplente.

O terceiro candidato a Deputado Estadual mais bem votado da cidade foi Devan Eugênio (PR), que obteve no geral 3.593 votos, sendo que 3.121 foram na cidade de Campo Maior, o que prova que o candidato só fez campanha na sua terra. Ao contrário de Martins e Félix, o candidato da família Eugênio parece ter ficado satisfeito com seu desempenho nas urnas, já que o mesmo pensa em se lançar candidato a prefeito em 2020. Vendo por esse lado, Devan acabou saindo fortalecido por ter tomado muitos votos de seus adversários diretos que não conseguiram se eleger e saem enfraquecidos para uma disputa pela prefeitura daqui a dois anos.

O quarto campomaiorense mais bem votado foi Raimundo Pereira (PT), que obteve 2.131 votos, sendo que em Campo Maior ele foi o quarto mais bem votado com 1.063 votos. Pereira pode até comemorar esse desempenho, pois segundo ele mesmo, sua candidatura foi apenas uma forma de “vingança” a Paulo Martins, que nunca retribuiu o apoio dado por ele em outras eleições. Vendo por esse lado, Raimundo conseguiu tirar votos de Paulo em Campo Maior e acabou atrapalhando o colega de partido na corrida por uma cadeira na Assembléia.

A cidade ainda teve uma mulher como candidata a esse cargo, Edilene Pinho (PCB) obteve 501 votos, sendo que 230 foram conquistados em Campo Maior.

DEPUTADO FEDERAL

Marcos Damata e Daniel Soares, respectivamente.

O campomaiorenses que entraram nessa disputa não postulavam realmente assumir uma cadeira no Congresso Nacional, o objetivo na verdade era se fortalecer para as eleições municipais de 2020. O mais bem votado foi o Vereador Daniel Soares (PSB), que obteve 3.208 votos, sendo que 2.208 foram na cidade de Campo Maior. Daniel lançou-se candidato de última hora, após a desistência do favorito Rodrigo Martins, que inclusive era apoiado por ele na cidade. O Vereador pegou carona nessa onda e fez seu nome para uma possível candidatura a vereador novamente ou até mesmo a prefeito.

Na sequencia vem Marcos Damata (PSC) com 1.401 votos, sendo que 1.294 foram obtidos em Campo Maior. Esse parece ter sido o que ficou mais satisfeito com o desempenho nas urnas, já que logo após a apuração pegou seu carro de som e saiu comemorando com a família pelas ruas da cidade. Esse foi o melhor desempenho de Damata desde que começou a concorrer em cargos públicos, diante disso ele visa uma disputa por uma cadeira na Câmara de Vereadores em 2020.

SENADO FEDERAL

Lafayette Andrade e Paulo Henrique, respectivamente.

Os campomaiorenses que concorreram a esse cargo também não tinham o objetivo de se eleger, mas sim de se fortalecer para talvez assumir cargos importantes futuramente. O conterrâneo mais bem votado foi o Professor Paulo Henrique (REDE), que obteve 27.477 votos, sendo que 1.364 foram conquistados em Campo Maior.

Em seguida vem Lafayette Andrade (DC) que conseguiu conquistar 5.640 votos, sendo que 1.195 foram em Campo Maior.

Deixe seu comentário