Home » Política » BASTIDORES DA POLÍTICA: A luta continua e a roda da política não para de girar


BASTIDORES DA POLÍTICA: A luta continua e a roda da política não para de girar

A LUTA CONTINUA

Depois da decisão do MM. Juiz Federal da primeira vara da Seção Judiciária do Estado do Piauí, DR. LEONARDO TAVARES SARAIVA, que nos termos do art. 240 do Código de Processo penal, determinou que se procedesse à busca e apreensão dos equipamentos da Rádio Comunitária Líder FM. A coluna BASTIDORES NA POLITICA que ia ao ar sempre as segundas-feiras na comunicação do radialista Valdemir de Castro e do professor e advogado Marco Bona, estará de volta através de forma imparcial no Portal Líder. A nossa intenção é deixar o leitor bem informado dos acontecimentos políticos da cidade e região, muitas vezes a coluna irá ao ar escrita ou em vídeos gravados em nosso próprio estúdio.

CAMPO MAIOR E OS SEUS 256 ANOS DE EMANCIPAÇÃO

No próximo dia 8 de agosto a cidade de Campo Maior completará 256 anos de emancipação politica e uma vasta programação está sendo montada pela equipe do prefeito José de Ribamar Carvalho. A programação inicia-se nos dias 3 e 4 de agosto com a realização da Feira Estadual de Artesanato dos Carnaubais (AMORARTE) e apresentação artística. O Poder Legislativo Municipal prepara para o dia 8 de agosto uma Sessão Solene, onde na oportunidade será lançado um livro com a história da Câmara Municipal de Campo Maior de autoria do professor Celso Chaves. A solenidade está marcada para as 9: 30 hs no plenário da Casa Legislativa.

CAMPO MAIOR TERÁ CANDIDATOS EM TODOS OS CARGOS

A cidade não passa de 56 mil habitantes, mas Campo Maior apresenta pré-candidatos em todos os cargos políticos, até mesmo na corrida pelo governo do estado, alguns desses nomes já homologados em convenção partidária. CONFIRA:

CÉSAR MELO (PRÉ- CANDIDATO AO GOVERNO -PSL) Médico, ex- deputado estadual e ex- prefeito de Campo Maior.

LAFAYETTE ANDRADE (CANDIDATO AO SENADO DA REPÚBLICA- PSDC)  Advogado campo-maiorense, participa pela primeira vez de uma eleição com o nome já homologado.

PAULO HENRIQUE PINHEIRO (CANDIDATO AO SENADO DA REPÚBLICA – REDE)  Professor, campo-maiorense e filho do ex-diretor do Ginásio Estadual ( Professor Pinheiro) .

PAULO CESAR MARTINS (PRÉ – CANDIDATO A DEPUTADO FEDERAL – PT) Ex. prefeito de Campo Maior e ex-deputado estadual.

MARCOS DAMATA (PRÉ – CANDIDATO A DEPUTADO FEDERAL – PSC) Ambientalista, já participou de outras campanhas como candidato.

ALUÍSIO MARTINS (PRÉ-CANDIDATO A DEPUTADO ESTADUAL – PT) Na ultima eleição foi o terceiro suplente de sua coligação e assumiu a cadeira de deputado estadual, é também advogado.

ANTÔNIO FÉLIX (PRÉ – CANDIDATO A DEPUTADO ESTADUAL- PTC) Eleito dois mandatos a deputado estadual pelo PPS , na última eleição vestiu a camisa do PSD e ficou na primeira suplência, não saiu da cadeira e assumiu .

HELDERVAN EUGÊNIO (PRÉ- CANDIDATO A DEPUTADO ESTADUAL – PR) Ex. funcionário da CEF, cantor e compositor, atualmente empresário do ramo de material de construção.

RAIMUNDO PEREIRA (PRÉ CANDIDATO A DEPUTADO ESTADUAL – PT) Economista e um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores em Campo Maior.

A VICE ESQUENTA O PROCESSO

Existem os vereadores, suplentes e outras lideranças politicas que escolhem  votar em candidatos de fora. É o caso por exemplo da Dra. Liege Cavalcante, atualmente vice-prefeita de Campo Maior, que recentemente deixou o PSB e vestiu a camisa do Progressista do Senador Ciro Nogueira. Com essa mudança a médica vice não acompanhará os candidatos do seu prefeito Ribinha e votará para Iracema Portela (federal) e Júlio Arcoverde(Estadual), decisão como essa pode acontecer entre outros políticos de mandatos que aguardam o fim das convenções (5 agosto) e o ultimo prazo de registro de candidaturas marcado para o dia 15 de Agosto.

O DESESPERO DE MUITOS

Muitos desses candidatos nem pensam na possibilidade de se elegerem para representarem bem o estado do Piauí, alguns já sonham com o processo municipal de 2020 ou mesmo com a chamada barganha politica que alimentam outras candidaturas. Porém tem aqueles que sonham realmente com o poder da politica e estão contabilizando os seus votos para uma tal de chapão ou chapinha, são aqueles candidatos que mudam de partido para se elegerem com menos votos e serem agraciados com a chamada legenda. Na próxima edição de nossa coluna já teremos as definições com o fim das convenções e aí sim poderemos adiantar a posição de muitos que estão em cima do muro.

Deixe seu comentário