Home » Saúde » DIA D: Campo Maior registra 30 casos de Hanseníase


DIA D: Campo Maior registra 30 casos de Hanseníase

O jovem radialista Otavio Neto, esteve na manhã dessa quarta-feira (28/01) na redação do Portal Lider para prestar informações sobre o trabalho de combate a Hanseníase em Campo Maior. Segundo Otavio Neto Campo Maior tem atualmente 30 casos, o que para ele é um número alto.

O último domingo do mês de janeiro é considerado pelo Ministério da Saúde (MS) o Dia Nacional de Combate à Hanseníase, uma das doenças de pele mais antigas da história da medicina. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o país teve 34 mil novos casos da hanseníase em 2011, o que o colocou como o segundo no ranking das nações com o maior número de registros da doença. A preocupação da SBD é com o grande número de pessoas diagnosticadas tardiamente e com o percentual ainda baixo de realização de exames nas pessoas que convivem no mesmo domicílio com os portadores da hanseníase. Por isso, a entidade tem participado de atividades de combate à doença de maneira espontânea e também por meio do apoio a iniciativas do MS.

Segundo o coordenador do Departamento de Hanseníase da SBD e professor da Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), Joel Carlos Lastória, o dia de combate à hanseníase deve ser lembrado com a finalidade de ressaltar as atividades que devem ser realizadas ao longo deste ano.

SINTOMAS E TRATAMENTO
Ocasionada pelo bacilo de Hansen, afeta especialmente a pele e os nervos, podendo também ocasionar a perde de membros. Sua transmissão ocorre também pelo ar. O período de incubação da doença ocorre em média de três a cinco anos, e sua manifestação se dá pelo aparecimento de manchas dormentes pelo corpo, de cor avermelhada, esbranquiçada ou marrons (sintomas iniciais). Os nervos são comprometidos, podendo haver deformações em regiões, como nariz e dedos. Outras manifestações são placas, caroços, inchaço, fraqueza muscular e dor nas articulações

Deixe seu comentário